sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Acidente na BR 222 deixa um homem morto e outro ferido

Um acidente na tarde desta sexta-feira (8) deixou um homem morto e outro ferido na BR 222, próximo ao Km 128, em Lajes Pintada. A colisão envolveu um Fiat Uno (placa MXP-3673/RN), que era veículo da Emater, e um Corsa Sedan (MZF-3016/RN). O choque frontal resultou na morte do condutor do Uno, Davi Bezerra de Melo Júnior, de 40 anos. O motorista do Sedan, José Adriano de Araújo, saiu ileso, enquanto o passageiro José Vilson de Araújo teve ferimentos leves.
Davi, que segundo testemunhas era técnico da Embrater, saía de Tangará em direção a Assu. O acidente ocorreu devido à invasão de faixa por parte de José Adriano, que após subir o acostamento, perdeu o controle do veículo e pegou a contra mão. Com a colisão, o Fiat Uno dirigido por Davi desceu um aterro, onde se encontra preso nas ferragens do carro até o momento. O Itep já foi acionado para resgatar o corpo da vítima.

os ocupantes sobreviventes são de Cerro Corá/rn
Obs.

3 comentários:

Anônimo disse...

Prof. Assis Braga esclarece falhas ocorridas durante votação
No dia 19 de Novembro foi realizada a eleição para a escolha da nova direção da Escola Estadual Aristófanes Fernandes em Santana do Matos. O clima que já era hostil entre os candidatos, ficou ainda pior após a divulgação do resultado, no qual alguns dados nas listagens não bateram com os registros do sistema após a eleição. As falhas foram imediatamente e facilmente confirmadas quando verificou-se que na lista de professores estavam 23 nomes, que compareceram e votaram, enquanto que o resultado apresentou 26 votantes. Também observou-se erro com relação aos votos de servidores, que eram num total de 07 na lista, sendo que um não compareceu, e mesmo assim o resultado apresentou 07 votantes. Como se explicam esses erros?

A eleição foi informatizada e realizada através de um programa de computador enviado pela 8ª DIRED. Inicialmente os eleitores chegavam, assinavam a lista e iam até o computador para votar, onde estava o presidente da mesa, que selecionava o segmento correspondente a cada eleitor e em seguida digitava o código de liberação do voto. Os eleitores foram divididos em quatro segmentos, na seguinte sequência: professor, servidor, pai e aluno. Quando o eleitor assinava a lista, o mesário que colhia a assinatura informava ao presidente da mesa a qual segmento o eleitor pertencia para que fosse liberado o voto. A eleição sendo feita assim, não apresentaria erro nenhum, no entanto, 04 alunos mais apressados acabaram sendo mais rápidos do que a presidente da mesa e clicaram no número correspondente à chapa que iriam votar antes da presidente selecionar o segmento correspondente, o que fez abrir em seguida a tela para o código de liberação do voto, sem possibilidade de voltar para fazer correções. A presidente avisou a esses eleitores e à comissão eleitoral que não sabia em qual segmento esses votos seriam computados.

Fazendo a reconstituição dos fatos para entender o ocorrido, descobri que se os eleitores apertassem em qualquer tecla que não fosse a dos números 1, 2, 3 e 4, o teclado estaria bloqueado e não teria acontecido nada, mas no momento em que apertasse no número 1 antes da presidente selecionar o segmento, estaria ele mesmo, fazendo a escolha do segmento professor, o primeiro da lista; se apertasse no número 2, estaria escolhendo o segmento servidor, o segundo da lista, e assim sucessivamente. Assim sendo, foi descoberto que a escolha do segmento tanto poderia ser feita pelo “mouse”, quanto pelos números 1, 2, 3 e 4. Assim 03 alunos que votaram na chapa 1, acabaram tendo seus votos computados como professores e que 01 aluno que votou na chapa 2 acabou tendo seu voto computado como servidor. Então é essa a explicação para as falhas na eleição, é essa a verdade, que pode ser provada, e ao contrário do que dizem na internet, muitos irresponsáveis que não se identificaram; não houve nenhum tipo de fraude ou roubo por parte de nenhum dos mesários que trabalhou na eleição e nenhum tipo de favorecimento a nenhuma das chapas concorrentes.

Esclarecemos ainda, que também foi feita uma simulação do que seria o resultado sem esses votos a mais e que a chapa vencedora seria a mesma ( chapa 1 ), mas, em virtude dos erros ocorridos e já citados, a chapa 2, usando dos seus direitos, entrou com um pedido de anulação dessa eleição, que será analisado pela comissão central, em Natal, que irá decidir nos próximos dias se haverá ou não uma outra eleição.

Francisco de Assis Adelino Braga
Prof. da rede municipal e estadual
Presidente da comissão eleitoral

lagoa nova verdade disse...

add eu para seu blog amigo meu link e www.lagoanovaverdade.blogspot.com

birasblog disse...

Trágico!